Projeto Transição Orgânica

Agricultura sustentável e prosperidade em escala

O PROJETO TRANSIÇÃO ORGÂNICA é um programa, em concepção, que engloba o financiamento adequado de longo prazo, com apoio técnico, para pequenos agricultores brasileiros integrarem-se a mercados de orgânicos em forte crescimento.

  • 70% da produção de alimentos brasileira é realizada por agricultores familiares1.
  • A Mata Atlântica2 e o Cerrado concentram uma rede capilarizada de agricultores que influenciam a agricultura no Brasil.
  • No mundo, cerca de 1,4% da área dedicada à agricultura utiliza práticas de manejo orgânico, enquanto no Brasil essa proporção é de 0,4%3.
  • O café é a cultura perene com maior produção orgânica mundial, com cerca de 8% de toda a área plantada. O Brasil, o maior produtor de café, com cerca de 1/3 de toda a produção mundial, tem área de produção de café orgânico inferior a 1%4.
  • Cooperativas Fair Trade já perceberam a forte demanda por produtos Fair Trade e Orgânicos e querem incentivar a dupla certificação de seus produtores.

O que queremos alcançar

Maior renda para produtores

Análise de resultados (ano 5)5

Experiências iniciais apontam que produtores precisam atravessar um “vale financeiro”de pelo menos 2 anos durante a transição para o sistema de manejo orgânico. No entanto, a queda na produtividade inicial é compensada com o tempo. A agricultura orgânica reconhece os produtores, pagando valores maiores, garantindo assim uma maior lucratividade no longo prazo.

Construção de um caminho para a transição

Comparação da disponibilidade de recursos6

Mecanismos de apoio brasileiros não têm atendido às necessidades específicas desses projetos; por exemplo, o acesso a crédito disponível é limitado devido a uma visão incompatível com as necessidades dos agricultores e suas lavouras. 

Agricultura mais inteligente para o clima

Emissão de gases de efeito estufa7

A agricultura é uma das atividades que mais emitem GEE (Gases do Efeito Estufa) na atmosfera, e também uma das que mais pode ser atingida por efeitos da mudança climática. A utilização de boas práticas podem reduzir a emissão desses gases e promover a biodiversidade.


Esforços coordenados para uma atuação sistêmica

Para trilhar esse caminho é fundamental a articulação de uma rede de stakeholders que podem, ao mesmo tempo, ser parte da solução e beneficiar-se de uma ação coordenada entre agentes locais.

Alguns dos desafios dos principais stakeholders:

  • Cooperativas e seus produtores: acessar crédito para atendimento de demandas específicas da transição para o manejo orgânico-regenerativo em cultura perene.
  • Parceiros de crédito: customizar oferta de crédito para pequenos agricultores em transição.
  • Parceiros técnicos: ampliar a difusão de conhecimento técnico específico do manejo orgânico.
  • Fornecedores de insumos: disponibilizar insumos adequados à transição para mercado crescente
  • Agentes comerciais: atender o crescimento da demanda por produtos orgânicos de grandes cadeias mundiais.

ODS impactados:


Solução para impulsionar a jornada de transição orgânica-regenerativa de agricultores familiares

A Flourish se une à Din4mo e à Agrobiota para desenvolvimento da solução.

  • Uma solução sistêmica baseada em blended finance, com apoio técnico e mercadológico, para catalisar o manejo sustentável brasileiro, aproveitando oportunidades para conectar capitais que apoiam uma agricultura regenerativa e de baixo carbono a pequenos produtores.
  • A produção de café sustentável servirá como porta de entrada para o aumento da renda de agricultores familiares brasileiros, beneficiando municípios de pequeno e médio porte. 
  • Cooperativas do estado de Minas Gerais8 (+700 agricultores) já manifestaram interesse na realização do piloto. 
  • Diagnóstico nas cooperativas e seus produtores para entendimento da jornada do produtor prestes a decidir ou quem já decidiu pela transição para orgânico. 
  • Trabalho de sensibilização e educação técnica para o manejo orgânico-regenerativo.  
  • Aproximação com a cadeia de fornecimento de insumos e, ao mesmo tempo, levantamento das oportunidades de mercado junto a compradores da cadeia orgânica
  • Análise de ampliação para mais culturas e em outros biomas.

Apoie esta iniciativa

Se você gostaria de participar deste projeto, entre em contato com a equipe Flourish para mais informações.

Artigos

Confira os conteúdos produzidos pela Flourish que refletem nossa visão e ações.

 O mundo que queremos: orgânico-regenerativo

O mundo que queremos: orgânico-regenerativo

De agora até 2030, queremos que o mundo orgânico-regenerativo prospere. Elencamos três alavancas para você nos ajudar nessa construção

 Webinar da Flourish discute os desafios e oportunidades da transição para o orgânico

Webinar da Flourish discute os desafios e oportunidades da transição para o orgânico

Assistência técnica e garantias para o produtor ajudam a viabilizar agricultura orgânica

 Transição para orgânico: desafios e oportunidades

Transição para orgânico: desafios e oportunidades

O caso da Cooperativa dos Produtores de Café dos Costas


Notas:
1 Censo Agropecuário 2017.
2 72% dos brasileiros e 70% do PIB brasileiro estão concentrados neste bioma (Fonte: IBF – Instituto Brasileiro de Florestas).
FiBL & IFOAM Organics International – The World of organic agriculture – STATISTICS & EMERGING TRENDS 2019.
Análise Flourish 2020.
5 Fonte: Cooperativa dos Costas, análise Flourish.
6 Fonte: Climate Watch.
7 Fonte: Rodale Institute’s Farming Systems Trial.
8 Minas Gerais encontra-se na transição entre os biomas de Mata Atlântica e Cerrado, com uma área de 9 milhões de hectares dedicados à agropecuária, sendo o principal estado produtor de café do Brasil e o 2º maior estado em números de estabelecimentos (Fonte: Estudo Embrapa 2019).